17 janeiro 2011

Arca das Letras

Eis um programa digno de nota criado em 2003 pelo Ministério de Desenvolvimento Agrário (MDA). O programa tem como objetivo, implantar bibliotecas no meio rural para facilitar o acesso aos livros e a informação. Com isso, o programa beneficia pescadores, indígenas, agricultores familiares e comunidades ribeirinhas, levando cultura e imaginação para todos.

O programa, Arca das Letras, disponibiliza um acervo inicial de 200 livros selecionados. O acervo é formado por literatura infantil, para jovens e adultos, livros técnicos e didáticos, entre muitos outros.

Programas como esse são excelentes e ao meu ver, deveria ser implantado em comunidades rurais de todos os municípios brasileiros.

O homem do campo precisa descobrir o mundo escondido nas páginas dos livros. Aprender novos conceitos e acima de tudo saber o que é cidadania, conhecer seus direitos e deveres como cidadão, etc.

Infelizmente, a estigma de que o homem do campo não tem cultura, e que pode ser facilmente enganado, principalmente por políticos inescrupolosos, pode, e dever ser mudada com projetos como esse, que leva cultura, conhecimento e cidadania para uma parte da sociedade que vive as margens do desenvolvimento cultural do país.

Fiquei feliz ao saber que a Arca das Letras foi implantada aqui, em Colonia Leopoldina, no assentamento do INCRA em Gruta D'água. Acho que deveria ser desevolvido em outras comunidades rurais, se existesse em Colonia Leopoldina, interesse político, o que acho dificil. Afinal, para quê disponibilizar conhecimento para a massa eleitoreira do município? Se são eles que elegem, por falta de uma educação mais adequada, os políticos corruptos e omissos dessa cidade.

Para concluir, gostaria de disponibilizar para você, caro leitor, um marcador de texto do programa Arca das Letras que você adquiri clicando no link abaixo:

Marcador Arca das Letras

Flávio Pimentel

13 janeiro 2011

Destruição e dor no Rio de Janeiro

Foto: O Globo

As fortes chuvas que devastaram algumas cidades Alagoanas e Pernambucanas há alguns meses atrás, agora estão devastando cidades do Rio de Janeiro com força ainda mais devastadora. A imagem acima, ilustra a dor de pessoas que perderam parentes e amigos nas enchentes que atingiram o Rio de Janeiro. Segundo o jornal O Globo, o número de vítimas subiu para 397, entre elas, 03 bombeiros que bravamente trabalhavam no resgate das vítimas.

Segundo especialista do Cptec/Inpe, as causas das fortes chuvas que castigaram o Rio de Janeiro, é consequência de "uma combinação de temporais e um ambiente irregular, de encostas, áreas já sujeitas a riscos". Algumas delas, desde 2007!

É lamentável tudo o que está acontecendo no Rio, mas a verdade, é que contra a natureza, não existe lei. Não podemos esquecer, que o maior dos culpados são os políticos, que não fiscalizam, que não oferecem moradias adequadas para a população, o que leva muitas pessoas a construírem suas casas em áreas de risco. Como mencionado pelo especialista do Cptec/Inpe, a culpa não é da natureza, mas do próprio homem. Ora, se essas casas não tivessem sido construídas em áreas de risco, o número de vítimas seria bem menor, ou quem sabe até, não haveria vítimas.

Em todo caso, gostaria de expressar profunda solidariedade a todas as famílias das vítimas. Num momento como esse, devemos despertar o espírito de solidariedade e ajudar como podermos aqueles que, em um outro momento também nos ajudaram.

Solidariedade: Saiba como ajudar, clicando aqui.

Flávio Pimentel

10 janeiro 2011

Superstição, você acredita?

É muito comum nas passagens de ano as pessoas fazerem uso de muita superstição. Umas procuram usar roupas brancas para atrair a paz, outras preferem o vermelho, a cor associada ao amor e a paixão, já outras pessoas optam pelo rosa e o verde, tudo isso apenas para mencionar algumas das superstições praticadas por milhares de pessoas em tudo o mundo. Além dessas superstições já mencionadas, existem muitas outras, como por exemplo:


Passar em baixo de uma escada dá azar;
Usar pé de coelho trás sorte;
Deixar a sandália de cabeça pra baixo pode provocar a morte da mãe;
Bater três vezes numa madeira pode evitar eventos ruins;
Cruzar na rua com gato preto dá azar;
Toda sexta-feira 13 é um dia perigoso e azarado.
  
Mas, o que é superstição?

Segundo um dicionário da língua portuguesa, superstição nada mais é do que um sentimento religioso ou uma crença errônia e excessiva que arrasta as pessoas ignorantes para a prática de atos indevidos e absurdos. Para entender isso, veja o que me aconteceu outro dia...

Estava eu andando pelas ruas da cidade, quando me deparei com um sapo enorme. Parei e fiquei observando o dito cujo, por pura curiosidade, já que o mesmo estava no parapeito de uma varanda. Em minha observação, acabei percebendo que o sapo, era na verdade, uma réplica. Depois disso, fiquei pensando... Porque alguém colocaria uma réplica de um sapo na varanda de sua casa? (Se você souber, caro leitor, deixe-me um comentário).

Nada contra a crença e a esquisitice de ninguém. Só não consigo entender como as pessoas conseguem se deixar levar por essas crendices que escravizam a consciência, fazendo com que pratiquem atos indevidos e absurdos como esse.

Flávio Pimentel

06 janeiro 2011

BBB 11 - Muita baixaria no ar!

Pois é, amigos, a Globo anuncia os participantes de mais uma edição desse programa que enriquece e muito a nossa cultura, para não dizer o contrário. Na imagem ao lado, você pode conferir um pequeno perfil de alguns candidatos. Candidatos esses, que a Globo faz questão de exibir com pouquissímas roupas e poses provocantes.

Entre os candidatos existe um possível travesti, ex-modelos que protagonizaram ensaios sensuais, produtora que fez topless, rapaz que pousou pra revista gay, entre outros desinibidos que prometem incediar a casa e destruir de vez o pouco de cultura e moralidade que ainda existe em algums lares desse imenso país.

Não se surpreenda, meu amigo, a TV brasilera está indo de mau a pior. E você sabe quem mais sofre com esse tipo de programa? Nossas crianças, que vão crescendo em meio a toda essa baixaria que a TV exibi, sem nenhum escrupulo. É triste saber que ainda existem muitos pais que permitem que seus filhos assistam esse tipo de programação que em nada contribui para uma educação saudável de seus filhos pré-adolescentes.

Estamos vivendo em tempos onde a pornografia tem se tornado cada vez mais comum, um tempo em que muitas pessoas não sabem mas discenir entre o que é certo e o que errado, o que é moral e o que é imoral. E assim, nossas crianças vão crescendo e fazendo parte de uma sociedade cada vez mais obscena e degrandante.

Enquanto programas como o BBB 11 fazem grande sucesso, outros programas de emissoras como: TV Cultura, Futura, TV Brasil e outras emissoras educativas, sofrem com baixa audiência. É preciso que venhamos abrir os olhos, literalmente falando, para o que edifica, para o que aumenta a nossa cultura, a nossa educação, ao invés de estarmos com nossos olhos fixados nesse tipo de programa que em nada nos edifica, antes, nos deturpa o senso moral, qualidade que ainda existe as migalhas em alguns poucos brasileiros.

Flávio Pimentel

03 janeiro 2011

Literatura de Cordel

Ontem, me deparei com uma matéria muito interessante sobre a literatura de cordel e resolvi escrever algo a respeito dessa maravilhosa arte popular de fazer poesia.

 Cordel, como muitos sabem, é um tipo de poesia popular que é originalmente oral e que depois é impressa em papel rustico como ilustra a imagem acima. Esses papéis, depois de impressos, são expostos para venda pendurados em cordas ou cordéis.

O nome cordel não tem origem brasileira, pois nasceu em Portugal onde se tinha o costume de pendurar folhetos em linhas de barbante. Com a chegada dos Portugueses por essas bandas, o cordel foi sendo introduzido desde o início da  colonização portuguesa. Com o passar do tempo, o cordel foi assumindo as características brasileiras com versos sobre o cotidiano, incluindo, lendas, religiosidade, política entre muitos outros assuntos que são esboçados pelos poetas cordelistas de uma forma bem melodiosa e cadenciada, acompanhados ou não, de uma viola. Entre os poetas cordelistas, se destacam: Leandro Gomes de Barros (1865-1918)  e João Martins de Athayde (1880 - 1959).

No Brasil, a literatura de cordel se regionalizou e se tornou tipicamente Nordestina com alguns Estados em maior destaque, como: Pernambuco, Rio Grande do Norte, Ceará e Paraíba. Hoje, já podemos encontrar a literatura em outros Estados, como: Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais.

O cordel tem sido muito importante na perpetuação da cultura e do folclore brasileiro. Com suas xilogravuras, perpetua-se a imagem do cangaço, do homem do sertão nordestino, enfim, a literatura de cordel tem influenciado até mesmo grupos musicais, como é o caso da banda nordestina Cordel do Fogo Encantado que tem exercido um papel muito importante na divulgação dessa maravilhosa arte popular brasileira/nordestina que jamais deve morrer.

Para concluir, me disperso com o cordel escrito por Darliane Cardozo. (namorada) Que tem por título:

"A Origem do Trabalho"

O trabalho se origina
De uma palavra
Da língua latina
Cujo significado,
A tortura determina.

O trabalho antigamente
Era tido como escravidão,
Sem falar que pra os romanos
Era forma de punição.

Surge o Renascimento
E com ele a transformação.
O trabalho agora é visto
Com menos discriminação,
Tornando a vida melhor
E com  mais humanização.

No decorrer da história,
O homem se moderniza.
Aprende novas técnicas,
Facilitando sua vida.

Com as novas técnicas surgidas,
O homem seu trabalho amplia,
Fazendo um grande uso
Da tão falada tecnologia.

Nos dias atuais,
As máquinas tem grande valor,
As vezes chegando a deixar,
O homem inferior.

Hoje a mão de obra
Está quase em extinção.
As máquinas ganharam o lugar
De grande parte da nação.

Com isso fica a questão:
Será que o homem evoluiu?
Ou cavou se próprio chão?

Cordel de Darliane Cardozo